Traduza para outra Lingua!

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

A IGREJA PRIMITIVA DE CRISTO É MESMO A IGREJA SUD?

Achei algo interessante na internet. Uma breve comparação básica entre a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e a chamada "Igreja Primitiva de Cristo". Os membros SUDs ou os Mórmons atuais, alegam que pertencem a uma espécie de "igreja restaurada". Ou seja, a mesma igreja que Jesus Cristo organizou, quando esteve na terra. É o que eles alegam, sob a ótica da própria doutrina imposta a eles por Joseph Smith Jr. e seus sucessores.
Quando estive lá dentro da organização, e foram muitos anos, num total de dezoito, nunca havia questionado as diferenças entre o que chamam de Igreja restaurada e a Igreja original. Isso é aceitável, simplesmente porque quando se está imerso na doutrina, parece que o mundo todo está conspirando contra o pretenso “reino de Deus”. Parece que tudo e todos os que não fazem parte daquilo estão errados. É como se você estivesse hipnotizado, mas não consegue admitir isso. Nessa condição, eu jamais pude questionar as diferenças entre as duas organizações apresentadas.
Na igreja antiga, não tinha pessoas com o cargo de profetas, presidindo ou administrando a mesma. Profetas eram frequentemente mencionados no velho testamento, como líderes religiosos. A alguns destes, foram atribuídos a autoria de livros que compõem o cânon do velho testamento. Mas no novo testamento ,não temos nenhum livro atribuído a um profeta. Nem ao próprio Jesus Cristo, que era tido como profeta, por causa dos milagres relatados. Entretanto, com a organização da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em 1830, Joseph Smith Jr. se auto proclamou “profeta” como administrador e dirigente da “Igreja restaurada”. E isso se perpetuou através de seus sucessores.
Na igreja antiga, não se usava fazer rituais templários, como iniciatória e investidura, tanto pelos vivos, como pelos mortos. Na verdade, havia um templo de que se tem notícias na época de Cristo, aquele que fora reconstruído em Jerusalém, depois de ter sido destruído pelos babilônios. Este, estava sob a administração dos sacerdotes que seguiam a lei de Moisés. E, mesmo estes sacerdotes, tinham um acordo por causa da religião com os romanos, que detinham o poder naquela região. Nem Jesus e nenhum de seus Apóstolos, teve o controle, nem um dia sequer, da administração do Templo de Jerusalém, para realizarem rituais em favor próprio, ou de outros falecidos. Entretanto, com a organização da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em 1830, Joseph Smith Jr. e seus sucessores, implantaram a “cultura” templária na “igreja restaurada”. Cultura essa, copiada de forma bizarra da maçonaria, onde eles mesmos foram iniciados.
Na igreja antiga, os diáconos e bispos, eram homens de uma só mulher. Não se tem registros da prática da poligamia entre os líderes e membros da igreja organizada por Jesus Cristo, como forma de salvação, num lugar chamado “reino celestial”, numa glória celestial. Entretanto, com a organização da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em 1830, Joseph Smith Jr., alegou receber um mandamento de Deus, de que deveria ter várias esposas. A maioria, meninas menores de idade. Outras, já casadas com outros homens (membros da igreja), para que todos pudessem ser salvos nesse tal “reino celestial”, como exigência de Deus. Não demorou muitos anos, e as próprias leis dos Estados Unidos forçaram os sucessores de Smith a revogar o mandamento de Deus, sob pena de perderem seus ativos imobiliários em Utah. A exigência eterna, já não era mais eterna.
Na igreja antiga, não construíram edifícios, como capelas e templos para adoração, muito menos, shoppings ou centros comerciais. Não temos registros no novo testamento dessas obras financiadas com o dízimo dos membros. Entretanto, com a organização da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em 1830, Joseph Smith Jr., alegou receber um mandamento de Deus de que seria necessário a construção de templos, para que o próprio Deus, pudesse ter um lugar para repousar. Também, o próprio Smith e seus sucessores, disseram ter recebido mandamentos do próprio Deus, de que deveriam construir capelas para os serviços de adoração, tabernáculos e Centro de Conferencias, para a realização das conferencias anuais da igreja. Tudo com o máximo de pompa e luxo, para dar notoriedade extrema da existência da Igreja. Sem falar do Shopping Center bilionário, que deve ser utilizado, para aumentar a riqueza da atual igreja e prover funções remuneradas aos líderes do alto escalão da própria instituição religiosa.
Como podemos ver aqui, há uma enorme distância entre o que se pode ler na bíblia, como “igreja primitiva de Cristo” e a atual “Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”. As diferenças são gritantes e estão expostas para quem quiser ver. Aproveito aqui, para citar as palavras de um amigo: “Se quiserem continuar acreditando em conto de fadas, é melhor continuar com os olhos fechados, porém, nunca é tarde para voltar para a realidade”.


Agradecimentos a Fabricio Passarelli pela inspiração do texto

4 comentários:

  1. Antonio, parabens por esse post mais que esclarecedor! QUeria que todos os mormons pudessem ler e de certa forma pensar sobre oque estão fazendo, pagando, gastando tempo e dinheiro. As diferenças do que era praticado por Jesus Cristo com oque os mormons fazem é gritante!!Rituais nos templos, senhas, códigos, exclusão de pessoas, racismo, construção de centros comerciais..Poxa, será que ninguém vê isso

    ResponderExcluir
  2. Ontem eu fui para uma reunião sacramental pela primeira vez, a capela é muito bonita, o templo aqui em manaus é um luxo só; assim ouvi e realmente nessas reuniões os membros parecem estarem hipnotizados, repetem sempre as mesmas coisas e cada vez vão ficando mais "robotizados" eu mesmo não consegui pensar direito enquanto estava lá, já fui duas vezes, ontem a reunião sacramental e semana passada uma conferência de estaca e nessas duas vezes sai de lá sentindo uma enorme confusão e tristeza que só passa depois de um tempo. Realmente eles tem uma oratória perfeita e dominam várias técnicas de persuasão e controle mental, estou me arriscando muito recebendo esses missionários em casa e cada vez tenho certeza que aquilo não é igreja e sim uma multinacional bem sucedida, admirável e arrecada muito dinheiro com seus argumentos ardilosos afim de enganar pessoas ingênuas.

    ResponderExcluir
  3. Na verdade, eu gostaria de aprender a arte da retórica e domina-la tão bem quanto alguns membros. Kkkkkk. É uma pena que nós sejamos tão burros, ignorantes e tapados a ponto de acreditar em mentiras como essas contadas pelos "mormóns" muita gente dá 10% daquilo que ganha + mais um monte de ofertas sem sentido; como jejuar e dar o dinheiro que seria gasto com alimentação para a igreja (pode isso Arnaldo?) Francamente! E tem membro que diz que quando não paga o dízimo falta dinheiro e quando paga "milagrosamente" um ser mágico multiplica os rendimentos mensais, seria essa uma espécie de alucinação coletiva que as pessoas imaginam até que o dinheiro rende mais se pagar o dízimo?

    ResponderExcluir